‚ÄĘ
06 Mar 2020
No Dia Internacional da Mulher, as 24 mulheres que inspiram a Josefinas todos os dias
Desde 1975 que o Dia Internacional da Mulher nos alerta para o caminho que ainda temos de percorrer.
No Dia Internacional da Mulher, as 24 mulheres que inspiram a Josefinas todos os dias

Hoje celebra-se o Dia Internacional da Mulher, uma data assinalada pelas Na√ß√Ķes Unidas em 1975, que homenageia o contributo da mulher ao longo da Hist√≥ria na luta pela igualdade de g√©nero.

Tudo come√ßou a 8 de mar√ßo de 1857, em Nova Iorque, quando um grupo de trabalhadoras da ind√ļstria t√™xtil organizou uma pequena marcha para exigir melhores condi√ß√Ķes de trabalho. Meio s√©culo depois, em 1908, o acontecimento repetiu-se, mas, desta vez, foram cerca de 15 mil mulheres que se juntaram num protesto massivo organizado, exigindo menos horas laborais, um melhor sal√°rio, o fim do trabalho infantil e o direito ao voto.

Para celebrar esta data que nos é tão especial, destacamos 24 mulheres que nos antecederam, que nos marcaram, que nos rodeiam e que nos inspiram diariamente.

Essas mulheres são atrizes, jornalistas, atletas, empresárias, cantoras, líderes políticas, comediantes, ícones da moda, ativistas mas, sobretudo, mulheres que usam a sua voz de forma corajosa e que lutam por uma cultura de igualdade entre homens e mulheres.
Feliz Dia Internacional da Mulher!

Audrey Hepburn

Somos fãs de Audrey Hepburn desde o início! Não só por ter sido um ícone da moda e do cinema nos anos 60, mas por tudo aquilo que conquistou e sonhou para si e para os outros.

Em crian√ßa, sobreviveu √† Segunda Guerra Mundial e, a partir de 1989, dedicou-se a v√°rias causas da UNICEF, inspirando o caminho de futuras gera√ß√Ķes.

Misty Copeland

Misty é um exemplo de mulher de força! Foi a primeira mulher negra a ser nomeada como bailarina principal do conceituado American Ballet Theatre, uma das companhias de bailado mais importantes do mundo.

Viveu uma inf√Ęncia dif√≠cil, educada por uma m√£e solteira, e o seu talento s√≥ foi reconhecido aos 13 anos de idade. Hoje, Misty √© um modelo a seguir e √© a cara da luta pela diversidade racial e socioecon√≥mica no mundo da dan√ßa.

Grace Kelly

N√£o podemos falar de eleg√Ęncia e sofistica√ß√£o sem falarmos de Grace Kelly! A ic√≥nica e intemporal estrela de Hollywood dos anos 50, que depois se tornou princesa do M√≥naco, foi vencedora de dois √ďscares, tr√™s Globos de Ouro, dois BAFTA Awards, um Bambi, entre muitos outros pr√©mios, pelas suas maravilhosas performances no cinema!

Apesar da trágica morte, aos 52 anos de idade, Grace continua a ser a 13ª mulher na lista das maiores estrelas do cinema clássico de Hollywood de todos os tempos.

Nina Simone

Nina Simone √© um √≠cone da m√ļsica norte-americana e uma das mais extraordin√°rias artistas do s√©culo XX. Desde o in√≠cio da sua carreira musical, usou a sua voz como forma de ativismo, sempre segura e determinada. Lutou contra a injusti√ßa social durante toda a sua vida, ainda que isso lhe trouxesse problemas para a sua carreira, numa √©poca profundamente racista e conturbada nos EUA.

Nina Simone inspirou mulheres a amarem-se como s√£o, independentemente da sua origem, do seu tom de pele, dos seus tra√ßos e das imposi√ß√Ķes sociais de beleza feminina.

Michelle Obama

Michelle Obama foi a primeira mulher afro-descendente a ocupar o cargo de primeira-dama dos Estados Unidos, mas representa, para as mulheres de todo o mundo, bem mais do que um cargo político.

Michelle é um símbolo de igualdade, de liberdade, de força, de esperança e de feminismo, que continua a fazer-nos acreditar no poder que cada uma de nós pode ter, à sua própria maneira.

Meghan Markle

Meghan Markle é uma mulher forte e moderna. De atriz de Hollywood de sucesso a Duquesa de Sussex, Meghan nunca deixou de se assumir como uma mulher confiante, de lutar pela igualdade de género e de defender os ideais feministas.

Apenas com 11 anos de idade, Meghan j√° mostrava bastante determina√ß√£o e uma vis√£o atenta do mundo. Ap√≥s assistir a um an√ļncio televisivo da Procter and Gamble, a jovem Meghan escreveu uma carta a v√°rias entidades a denunciar o sexismo na publicidade. Com este ato de coragem, conseguiu que o slogan fosse alterado.

Desde 2017, trabalha com a ‚ÄúEntidade para Igualdade de G√©nero e Emancipa√ß√£o das Mulheres‚ÄĚ das Na√ß√Ķes Unidas e participa em v√°rias a√ß√Ķes de consciencializa√ß√£o dos direitos das mulheres.

Tyler Haney

Tyler Haney é uma mulher empreendedora do mundo digital e do mundo dos negócios.

Em 2014, com cerca de 25 anos e quando ainda era uma estudante universit√°ria, prop√īs-se a criar uma marca de roupa desportiva que combinasse ser-se feminino e ser-se atl√©tico, um conceito √ļnico at√© ent√£o. Foi assim que nasceu a Outdoor Voices, a marca de roupa desportiva que todas n√≥s queremos usar, mesmo que n√£o sejamos f√£s do desporto.

Jessica Alba

Sophia Amoruso √© uma empreendedora norte-americana que, aos 22 anos de idade, decidiu criar uma loja no eBay, onde vendia roupa vintage ‚Äď a Nasty Gal. Este neg√≥cio foi nomeado como uma das empresas com o mais r√°pido crescimento de sempre, em 2012, e valeu-lhe t√≠tulos como America‚Äôs Richest Self-Made Women (A Mulher Self-Made Mais Rica dos Estados Unidos).

No entanto, nem tudo foram rosas para Sophia. Em 2016, dez anos após a sua fundação, a Nasty Gal declarava falência. Se a ascensão da Sophia é incrível, ainda mais extraordinária é a forma como se ergueu: após uma derrota, e de cabeça levantada, criou a Girl Boss em 2017, uma comunidade no feminino cuja missão é redefinir o sucesso das mulheres e incentivá-las no seu caminho pessoal e profissional.

Sophia Amoruso

Sophia Amoruso √© uma empreendedora norte-americana que, aos 22 anos de idade, decidiu criar uma loja no eBay, onde vendia roupa vintage ‚Äď a Nasty Gal. Este neg√≥cio foi nomeado como uma das empresas com o mais r√°pido crescimento de sempre, em 2012, e valeu-lhe t√≠tulos como America‚Äôs Richest Self-Made Women (A Mulher Self-Made Mais Rica dos Estados Unidos).

No entanto, nem tudo foram rosas para Sophia. Em 2016, dez anos após a sua fundação, a Nasty Gal declarava falência. Se a ascensão da Sophia é incrível, ainda mais extraordinária é a forma como se ergueu: após uma derrota, e de cabeça levantada, criou a Girl Boss em 2017, uma comunidade no feminino cuja missão é redefinir o sucesso das mulheres e incentivá-las no seu caminho pessoal e profissional.

Emily Weiss

Emily come√ßou a sua jornada de empreendedora ainda estagiava na Vogue norte-americana, mas foi em setembro de 2010 que lan√ßou o blog ‚ÄúInto The Gloss‚ÄĚ, uma comunidade online onde escrevia sobre produtos e rotinas de beleza, na busca da conversa√ß√£o e troca de feedback com e entre os seus leitores. Quando o seu projeto passou a ter 10 milh√Ķes de visitas mensais e um grande reconhecimento externo, Emily abandonou o seu cargo na Vogue e passou a dedicar-se inteiramente ao seu neg√≥cio.

Em 2014, criou a marca de maquilhagem Glossier que, em pouco mais de cinco anos, se tornou numa das mais populares marcas de maquilhagem do mundo, obrigando a ind√ļstria a repensar-se e a readaptar-se.

Em 2019, Emily Weiss fez parte da TIME 100 Next, uma lista criada pela revista Time que destaca 100 estrelas em ascens√£o que est√£o a mudar o futuro dos neg√≥cios, do entretenimento, do desporto, da pol√≠tica, da ci√™ncia, da sa√ļde e muito mais.

Whitney Wolfe

Whitney Wolfe é uma empresária norte-americana cheia de woman power!

Foi co-fundadora da aplica√ß√£o Tinder, uma das apps de dating mais populares da atualidade, mas abandonou a empresa ap√≥s ter sido assediada sexualmente. Cansada e saturada dos coment√°rios ofensivos feitos por homens nestas aplica√ß√Ķes, em 2014 Whitney fundou a Bumble com a miss√£o de dar confian√ßa √†s mulheres. Nesta aplica√ß√£o, s√£o sempre as mulheres que d√£o o primeiro passo - os homens n√£o podem enviar a primeira mensagem; o poder reside nelas.

Em 2016, a Bumble foi vencedora do pr√©mio Melhor App de Encontros e, no final de 2018, j√° somava mais de 47 milh√Ķes de utilizadores e uma receita anual de 175 milh√Ķes de d√≥lares.

A aplicação tem também um fundo dedicado ao investimento em mulheres fundadoras. Serena Williams é uma das investidoras.

Serena Williams

Serena Williams é considerada uma das maiores tenistas de todos os tempos. Para além de todos os prémios arrecadados no desporto, Serena escreveu dois livros, já participou em vários episódios de séries televisivas e criou a Serena Williams Foundation, que promove o acesso à educação de qualidade para crianças cujas famílias foram vítimas de crimes violentos.

Tem sido porta-voz de diversas causas femininas, lutando contra o sexismo no desporto e contra o abuso financeiro, como uma forma de violência doméstica.

√Č embaixadora, desde 2017, da Funda√ß√£o Purple Purse, que se dedica a quebrar o ciclo de viol√™ncia dom√©stica atrav√©s da autonomia financeira das mulheres.

Sheryl Sandberg

Sheryl √© uma empres√°ria norte-americana e Chefe Operacional do Facebook (a segunda posi√ß√£o na hierarquia da companhia), desde 2008, sendo a primeira mulher a ocupar uma das posi√ß√Ķes mais poderosas do ciberespa√ßo.

Em 2012, foi eleita pela revista Time como uma das 100 pessoas mais poderosas do mundo e como a 10ª mulher mais poderosa do mundo pela Forbes.

Sheryl Sandberg é também autora do livro Lean In, publicado em 2013, que se debruça sobre o valor e a força das mulheres no mundo empresarial em particular e na liderança em geral.

Eleanor Roosevelt

Eleanor Roosevelt foi primeira-dama dos EUA durante 12 anos. Casada com o presidente Franklin Delano Roosevelt, foi a mais falada das primeiras-damas durante muito tempo, por ter revolucionado a Casa Branca.

Sempre se recusou a ter um papel passivo ao lado do presidente, seu marido, e deu o corpo e a voz pelas causas em que acreditava. Foi a primeira vez que a América e o Mundo assistiram a uma mulher a participar ativamente na política americana.

Lutou pelos direitos humanos, pelos direitos das crian√ßas e das mulheres, falando abertamente sobre estes temas aos meios de comunica√ß√£o social da √©poca. Trabalhou na Liga das Mulheres Votantes e, ap√≥s a morte do seu marido, retirou-se da vida p√ļblica mas continuou a exercer fun√ß√Ķes como Presidente da Comiss√£o dos Direitos Humanos das Na√ß√Ķes Unidas.

Ficou para a História como uma grande humanista, que dedicou a sua vida a tentar construir uma sociedade mais justa!

Gloria Steinem

Gloria Steinem √© uma mulher mundialmente adorada enquanto escritora, jornalista e ativista. Considerada a ‚ÄúM√£e do Feminismo‚ÄĚ, √© uma fonte de inspira√ß√£o para todas as mulheres, gra√ßas √† sua luta incessante pela igualdade de direitos, que leva a cabo desde os anos 1960.

Ao longo da sua vida, denunciou vários casos de sexismo e criou a revista feminista Ms. Magazine, no início da década de 70, uma revista que moldou o feminismo dos dias de hoje, ao ser um meio de inspiração para a mudança.

Com 85 anos, apoia o movimento Time's Up e faz parte de v√°rios protestos contra a gest√£o Trump.

Indira Ghandi

Indira Gandhi foi a primeira mulher a ocupar o cargo de primeira-ministra na √ćndia, onde interveio em decis√Ķes militares na guerra entre a √ćndia e o Paquist√£o em 1971.

Numa sociedade indiana bastante patriarcal, mostrou ser uma líder com uma grande ambição política e provou que as mulheres são capazes de liderar frentes de combate, sendo um marco na história feminista.

Durante os 18 anos em que governou a √ćndia, usou o slogan ‚ÄúAbolish Poverty‚ÄĚ e promoveu v√°rias campanhas para erradicar a corrup√ß√£o e a mis√©ria extremas vividas na √ćndia naquela altura.

Morreu assassinada aos 67 anos, por dois guardas que faziam parte da sua segurança pessoal.

Rosa Parks

Rosa Parks foi a mulher que desafiou a sociedade norte-americana da década de 1950, profundamente racista, recusando-se a ceder o seu lugar de autocarro por causa da cor da sua pele.

Tornou-se, por isso, um símbolo do poder feminino e da luta contra o racismo e, mais tarde, desencadeou os protestos liderados por Martin Luther King Jr, que puseram fim à segregação racial nos Estados Unidos.

Em 1987, fundou o Rosa and Raymond Parks Institute for Self-Development, dedicado ao desenvolvimento dos jovens de Detroit. Em 1992, publicou a sua autobiografia com o t√≠tulo ‚ÄúRosa Parks: My Story‚ÄĚ, apesar das grandes dificuldades financeiras com que vivia.

Em 1999, recebeu a Medalha de Ouro do Congresso Americano, a maior honra que os EUA concedem a um civil, pelas m√£os do ent√£o presidente Bill Clinton.

Ellen DeGeneres

Ellen é um dos rostos mais carismáticos da televisão americana e uma das personalidades femininas mais influentes dos Estados Unidos.

Utiliza frequentemente a sua voz e o seu humor para falar abertamente de temas como a igualdade de género, a discriminação racial e dos direitos LGBTQ+.

Em 1997, foi considerada a ‚Äúmulher do ano‚ÄĚ pela revista Time.

Chiara Ferragni

Chiara √© considerada uma das bloggers, empres√°rias e it girls mais influentes do mundo. Tem mais de 18 milh√Ķes de seguidores no Instagram e fundou, em 2009, o The Blond Salad, um blog de moda que se tornou num verdadeiro neg√≥cio mundial.

Atualmente, tem tamb√©m a sua pr√≥pria marca de roupa, cal√ßado e acess√≥rios ‚Äď a The Chiara Ferragni Collection. O seu sucesso deve-se a uma estrat√©gia e a um modelo de neg√≥cio t√£o cuidadosamente pensados, que se tornaram num caso de estudo em Harvard.

Assume-se como feminista e defende que as mulheres devem lutar pelo direito de serem o que quiserem, que devem ser sempre as CEO’s da sua própria vida.

Emma Watson

Emma é atriz, modelo e ativista pela liberdade e igualdade de géneros.

Desde 2014, √© Embaixadora da ONU Mulheres e promove o movimento HeForShe, que funciona como um convite para ‚Äúuma metade da Humanidade apoiar a outra metade, para o benef√≠cio de todos‚ÄĚ. √Č uma das iniciativas mais poderosas lan√ßadas at√© ao momento e defende que a luta pela igualdade de g√©nero n√£o deve ser apenas das mulheres.

Em setembro de 2014, na apresenta√ß√£o do projeto na sede das Na√ß√Ķes Unidas em Nova Iorque, Emma Watson deu a voz a um discurso forte, energ√©tico e emotivo que fez parar o mundo e que se tornou viral.

Malala Yousafzai

Malala é uma ativista paquistanesa e foi a pessoa mais nova do mundo a receber um prémio Nobel da Paz, aos 17 anos, pela sua luta pela educação de jovens mulheres no Paquistão.

Com 11 anos, fez o seu primeiro discurso de revolta num clube de imprensa local no Paquistão. As suas palavras correram o país e o mundo e Malala passou a ser reconhecida pelo seu ativismo. Com a atenção mediática que passou a receber, foi nomeada para prémios nacionais e internacionais e, num dia em que se dirigia para a escola de autocarro, foi atacada na cabeça por um talibã que quase lhe roubou a vida.

Feminista e mu√ßulmana, ficou conhecida pela c√©lebre frase ‚ÄúUma crian√ßa, um professor e uma caneta podem mudar o mundo‚ÄĚ, que proferiu durante um discurso nas Na√ß√Ķes Unidas em 2013, com apenas 16 anos.

Hoje, Malala estuda filosofia, economia e pol√≠tica na Universidade de Oxford, no Reino Unido, e dedica-se a contar hist√≥rias de jovens for√ßadas a abandonar o seu pa√≠s que conhece em visitas a v√°rios campos de refugiados, do sudeste da √Āsia at√© √† Am√©rica Latina.

Emma Stone

Emma Stone é uma atriz de sucesso norte-americana e vencedora de vários prémios de Melhor Atriz, tais como um Oscar, um Globo de Ouro e um BAFTA.

Emma luta pelas quest√Ķes de g√©nero e assume que a desigualdade salarial entre homens e mulheres de Hollywood, ainda √© uma forte realidade.

Na 75ª Cerimónia dos Globos de Ouro, em 2018, Emma apareceu na red carpet vestida de preto e acompanhada por Billie Jean King, a lenda feminina do ténis dos anos 1970, que luta até hoje por uma maior representação feminina no desporto.

Emma é também uma das caras do protesto #MeToo contra o produtor Harvey Weinstein, acusado por assédio sexual.

Eu

Porque cada uma de nós tem o seu próprio superpoder, hoje é um dia para nos celebrarmos a nós mesmas, para valorizarmos a nossa força e as nossas conquistas!

Ela

Para além destas 22 mulheres e de cada uma de nós, há mais uma de quem não nos podemos esquecer: Ela.

Ela é nossa amiga, familiar, colega de trabalho e líder do seu próprio caminho.

Ela é a mulher que se cruza consigo diariamente na rua. Ela é a mulher que lhe serve o café todas as manhãs. Ela é a CEO daquela empresa multinacional. Ela é a mulher que escolheu ser mãe a full-time. Ela é a mulher que decidiu não ter filhos. Ela é a mulher que não gosta de usar maquilhagem. Ela é a mulher que não sai de casa sem se arranjar. Ela é a mulher que anda de rasos todos os dias. Ela é a mulher que não dispensa uns saltos altos.

Ela representa todas as mulheres que nos rodeiam e que, cada uma à sua maneira, nos inspiram a continuar a lutar e a pavimentar o caminho da igualdade!

#ProudToBeAWoman